Sete dicas para proteger seu CPF na Internet e por que você deve fazer isso


O CPF é um dos principais alvos de criminosos na hora de preparar diversos tipos de golpes. Combinado com outros dados pessoais, o documento permite que quadrilhas contratem serviços e até façam empréstimos em nome da vítima. De acordo com a Serasa Experian, há uma tentativa de fraude de CPF a cada 16,9 segundos no Brasil. Prova recente do problema foi a oferta de um banco de dados de 92 milhões de brasileiros na dark web, grande parte contendo o número de Cadastro de Pessoa Física. Pouco se sabe sobre a origem desse vazamento específico, mas existem algumas providências que qualquer pessoa pode tomar para evitar ser afetado. 

Por que é importante manter o CPF seguro? 

Brasileiros podem ter vários documentos diferentes, que vão do número do RG e Carteira de Habilitação ao NIS, mas o CPF é o principal deles. Apenas com esse documento e alguns dados básicos, como nome endereço e nome da mãe, criminosos podem fazer compras e contratar diversos tipos de serviço em nome da vítima: o mais visado é o de telefonia, que geralmente envolve não só a assinatura de um plano como a compra de aparelhos parcelados na fatura. 

Roubos de CPF também podem resultar na fraude de financiamentos, abertura de contas, obtenção de cartão de crédito e até na concessão de empréstimos em nome da vítima. Em julho, a Polícia Federal deflagrou uma operação no Espírito Santo com mandados de busca e apreensão na sede e na cada dos donos de uma empresa financeira acusada de solicitar empréstimos da Caixa usando CPF de idosos. 

1. Guarde e descarte documentos com segurança 

Leve sempre o RG, a carteira de habilitação e outros documentos que contêm o número de CPF em um local seguro e mantenha-os sempre à vista ao entregá-los para alguém quando precisar se identificar. Ao descartar cartões e correspondências, é importante também inutilizar tudo antes de jogar no lixo, de modo que não seja possível recuperá-los facilmente. 

2. Informe à polícia em caso de roubo 

Se tiver documentos roubados, faça um boletim de ocorrência o mais rápido possível e informe todos os pertences que foram levados. Atualmente, quase todos os estados oferecem serviço de boletim virtual, em que é possível fazer o procedimento totalmente online para agilizar o informe às autoridades. Dessa forma, você evita que crimes sejam praticados em seu nome e cria respaldo caso seu CPF seja usado para contratar algum serviço em seu nome.  

3. Evite informar o CPF em compras presenciais 

Evite falar o CPF em voz alta ao fazer compras na farmácia e outras lojas. Prefira sempre digitar o número em um teclado encobrindo as teclas com uma das mãos para evitar ser bisbilhotado por alguém à espreita. Outra forma de se proteger é optar por programas de descontos que dispense o CPF na hora da transação, optando por um número distinto, um aplicativo ou um cartão físico. 

4. Desconfie de contatos por telefone, e-mail ou redes sociais 

Bancos e outras prestadoras nunca pedirão o seu CPF por telefone ou e-mail ao entrar em contato com você. Por isso, nunca dê a informação ao ser contatado. Em geral, prestadoras de serviço costumam apenas confirmar o número que já possuem no cadastro e, por isso, não requerem que a pessoa repita a sequência. Ao solicitar atendimento nas redes sociais, informe o CPF apenas no privado e garanta que o perfil é oficial e tem o selo de verificado. 

5. Desconfie de testes online e sites de consulta 

Testes online nas redes sociais são sempre um problema para a privacidade, mas é ainda pior se pedirem dados pessoais como o CPF. Nunca informe dados pessoais nesse tipo de quiz, por mais engraçados que sejam. É importante também redobrar a atenção com sites desconhecidos de consulta de CPF, pois é comum que eles sejam apenas uma maneira de coletar as informações da vítima para aplicar golpes no futuro. Se necessitar consultar CPF na Internet, opte sempre por soluções oficiais, como a Receita Federal, ou reconhecidas, como a Serasa e a Boa Vista. 

6. Cuidado ao fazer compras online 

Lojas online falsas também podem roubar seu CPF. Ao fazer compras no e-commerce, opte sempre por lojistas fora da lista negra do Procon, que tenham CNPJ e com boa reputação em site como o Reclame Aqui. É importante também checar se o endereço do site está correto, se tem HTTPS e se a conexão é segura — evite computadores compartilhados e redes públicas ou use uma VPN de sua confiança. 

7. Não caia em golpes viralizados no WhatsApp 

Fuja de correntes de WhatsApp envolvendo algum prêmio surpresa ou promoção tentadora — geralmente, são criminosos tentando roubar dados financeiros. Golpes do tipo são distribuídos em links que costumam levar o usuário para um site externo onde devem digitar dados do cartão de crédito, telefone, CPF e outras informações. Mesmo que seja apenas um cadastro aparentemente inofensivo pedindo seus dados pessoais, desconfie: pode se tratar de uma quadrilha coletando vítimas para um golpe que vai ser aplicado mais à frente. 

Fonte: TechTudo

Nenhum comentário: