Stalkerware: tentativas de espionagem no Brasil crescem 228%


O número de ataques stalkerware no Brasil cresceu em 228% no último ano, segundo relatório publicado pela Kaspersky nesta quinta-feira (2). O software malicioso, que espiona as vítimas para enviar dados pessoais para seu desenvolvedor, ganhou fama também no exterior, com um salto expressivo no número de casos do tipo. 

O estudo ainda revela um crescimento de 35% nos casos internacionais de stalkerwares quando se comparam os primeiros nove meses de 2019 com 2018. Além do crescimento dos casos, a Kaspersky também percebeu um crescimento na variedade de stalkerwares em ação, o que dificulta a proteção de usuários.  Stalkerware é um tipo de software espião criado para monitorar a vida de um alvo específico. Geralmente usados por parceiros ciumentos, esses malwares tem como objetivo coletar o conteúdo de conversas, interceptar arquivos, e-mails, senhas e conteúdo gerado pela vítima, como fotos e vítimas. Em alguns casos, o malware é capaz de operar em tempo real, dando ao invasor a capacidade de acessar microfones e câmera do dispositivo.

Para a Kaspersky, o fato de stalkerwares serem ameaças direcionadas, para atingir uma pessoa em especial, torna os números ainda mais preocupantes, já que em geral esse tipo de malware precisa ser instalado por pessoas que têm acesso físico aos dispositivos das vítimas.  A Kaspersky contou 4.041 detecções e bloqueios em usuários únicos do Brasil até agora em 2019, o que mostra um crescimento de 228% sobre os números registrados nos primeiros nove meses de 2018, quando foram descobertos cerca de 1.232 casos de stalkerware. 

Outro fator de preocupação é a percepção de que os stalkerwares vem ganhando novas variações. Em 2019, a Kaspersky encontrou 380 versões potencialmente perigosas desse tipo de ataque, o que consiste em um crescimento de quase 33% em relação às 290 encontradas em 2018. 

Como se proteger 

Diante da onda de casos de stalkerwares, há algumas dicas que os usuários podem seguir para evitar problemas: bloquear a instalação de apps de fontes desconhecidas, nunca revelar PIN e senha do celular, evitar acessar arquivos e apps desconhecidos e revisar todas as senhas e configurações de segurança ao sair de um relacionamento. Não é aconselhável compartilhar senhas mesmo que seja com uma pessoa de confiança.  Fonte: TechTudo

Nenhum comentário: