Empresas que investem em privacidade têm maiores retornos


Nos últimos anos, os regulamentos de privacidade começaram a ser foco das discussões sobre o uso de dados. Diversos países começaram a trabalhar em novas legislações, obrigando que empresas sigam diretrizes para a proteção das informações. De acordo com um novo estudo da Cisco, embora as leis possam parecer onerosas, as empresas estão obtendo benefícios financeiros significativos por seguirem regras de privacidade. Para o levantamento, a Cisco entrevistou 2,8 mil profissionais de segurança em 13 países.
A pesquisa constatou que o maior foco na privacidade otimizou o tempo de vendas, melhorou a segurança e reduziu as violações de dados. Mais de 40% das empresas participantes relataram a obtenção de benefícios de, pelo menos, o dobro do que gastam para garantir a privacidade.
A porcentagem de organizações que disseram ter encontrado benefícios comerciais significativos com a privacidade aumentou para mais de 70%. Além disso, outras 82% consideram as certificações de privacidade como um fator de decisão de compra ao selecionar um produto ou fornecedor na sua cadeia de suprimentos.       
"Em média, para cada US$ 100 que uma empresa gasta em privacidade, ela recebe US$ 270 em benefícios comerciais, que trazem o sabor de melhor segurança, menores atrasos nas vendas, maior inovação e agilidade, além de vantagens competitivas", disse Robert Waitman, diretor de insights e inovação em privacidade da Cisco, durante uma entrevista.XSegundo as informações, as empresas pesquisadas gastam entre US$ 500 mil e US$ 2 milhões por ano em iniciativas de privacidade. O gasto médio foi de US$ 1,2 milhão, mas o retorno médio foi de US $ 2,7 milhões.
Para empresas maiores, com 10 mil ou mais funcionários, os benefícios foram ainda maiores, ultrapassando os US $ 4 milhões. Outros 17% disseram ter retornos de mais de US$ 10 milhões. Já as pequenas empresas estimaram uma média de cerca de US$ 2 milhões.
No relatório, a Cisco menciona certificações, programas e práticas de privacidade mantidas como ISO 27701, Escudo de Privacidade UE / Suíça-EUA, Regras de Privacidade Transfronteiriça da APEC e Regras Corporativas Vinculativas da UE. Mais de 90% das empresas no Brasil, Índia e China disseram aos pesquisadores da Cisco que essas certificações representam um fator de compra ao selecionar um fornecedor ou produto.
Outro aspecto abordado durante o estudo foi a diferença entre empresas de diferentes países. De acordo com o relatório, o retorno médio dos investimentos em privacidade varia significativamente conforme as regiões. Segundo a Cisco, os valores médios mais altos estão no Reino Unido, Brasil e México, que apresentaram retornos três vezes maiores que o investimento em privacidade.
Fonte: CIO. 
https://www.everyti.com.br/



Nenhum comentário: