Interpol alerta para fraudes devido ao coronavírus


Criminosos se aproveitam da ansiedade do coronavírus para vender produtos falsificados e aplicar golpes.
A INTERPOL está incentivando o público a ter cautela ao comprar suprimentos médicos on-line durante a atual pandemia do coronavírus.
Com a alta demanda de máscaras de proteção e outros suprimentos médicos, e a dificuldade de encontrar esses itens no varejo devido a pandemia de COVID-19, o número de falsos anúncios e golpes em lojas online, sites, contas de mídia social aumentaram.
Esse é um dos vários tipos de esquemas de fraude financeira relacionados à crise global da saúde em andamento, que foram relatados à INTERPOL pelas autoridades de seus países membros.
Esquemas de fraudes relacionadas ao Coronavírus COVID-19
Os golpes vinculados ao coronavírus incluem:
Fraude telefônica - criminosos ligam para as vítimas fingindo ser funcionário de clínicas ou hospitais, que alega que um parente da vítima ficou doente com o vírus e solicitam pagamentos por tratamento médico;
Phishing - e-mails que alegam pertencer a autoridades sanitárias nacionais ou globais, com o objetivo de enganar as vítimas para fornecer dados pessoais ou informações de cartão de crédito ou para abrir um anexo contendo malware.
Em muitos casos, os fraudadores fingem ser de empresas legítimas, usando nomes, sites e endereços de e-mail semelhantes, na tentativa de enganar a população, chegando até atuar de forma constante por e-mails e mensagens nas plataformas de mídia social.
"Os criminosos estão explorando o medo e as incertezas criadas pelo COVID-19 para atacar cidadãos inocentes que buscam apenas proteger sua saúde e a de seus entes queridos", disse o secretário geral da INTERPOL, Jürgen Stock.
“Qualquer pessoa que esteja pensando em comprar suprimentos médicos on-line deve demorar um pouco e verificar se você está de fato lidando com uma empresa legítima e respeitável; caso contrário, seu dinheiro poderá ser perdido para criminosos sem escrúpulos”, concluiu o chefe da INTERPOL.
Bloqueio e recuperação de pagamentos fraudulentos
As perdas monetárias relatadas à INTERPOL chegaram a centenas de milhares de dólares em um único caso, e esses crimes estão atravessando fronteiras internacionais.
A Unidade de Crimes Financeiros da INTERPOL está recebendo informações dos países membros quase diariamente sobre casos de fraude e pedidos para ajudar a interromper pagamentos fraudulentos. As vítimas visadas foram localizadas principalmente na Ásia, mas os criminosos usaram contas bancárias localizadas em outras regiões, como a Europa, para simular que são contas legítimas vinculadas à empresa que está sendo representada.
Em um caso, uma vítima na Ásia efetuou pagamentos para várias contas bancárias sem o controle de criminosos em vários países europeus. Com a ajuda da INTERPOL, as autoridades nacionais conseguiram bloquear alguns dos pagamentos, mas outros foram rapidamente transferidas pelos criminosos para segunda e até terceira contas bancárias antes que pudessem ser rastreados e bloqueados.
Até o momento, a INTERPOL ajudou em cerca de 30 casos de fraude relacionados à COVID-19 com links para a Ásia e Europa, levando ao bloqueio de 18 contas bancárias e ao congelamento de mais de US$ 730.000 em transações suspeitas de fraude.
A INTERPOL também emitiu um alerta para a polícia em todos os seus 194 países membros para esse novo tipo de fraude.
Pontos para serem observados
Se você deseja comprar suprimentos médicos on-line ou receber e-mails ou links, esteja atento aos sinais de uma fraude em potencial para proteger você e seu dinheiro.
  • Verifique a empresa / indivíduo que oferece os itens antes de fazer qualquer compra;
  • Esteja ciente de sites falsos - os criminosos geralmente usam um endereço da Web que parece quase idêntico ao legítimo, por exemplo, 'abc.org' em vez de 'abc.com';
  • Verifique as análises on-line de uma empresa antes de fazer uma compra - por exemplo, houve reclamações de outros clientes que não receberam os itens prometidos ?;
  • Cuidado se for solicitado a efetuar um pagamento para uma conta bancária localizada em um país diferente daquele em que a empresa está localizada;
  • Se você acredita ter sido vítima de fraude, alerte seu banco imediatamente para que o pagamento possa ser interrompido;
  • Não clique em links ou abra anexos que você não esperava receber ou tenha um remetente desconhecido;
  • Desconfie de emails não solicitados que oferecem equipamentos médicos ou solicitem suas informações pessoais para exames médicos - as autoridades de saúde legítimas normalmente não entram em contato com a população dessa maneira.
Texto por Fábio Reis para PFARMA.
everyti.com.br

Nenhum comentário: